Devon Scott abre o jogo e fala sobre volta por cima na carreira, Minas e basquete argentino

Devon Scott é a nova opção do Minas para o garrafão (Foto: Matheus Muratori/Basquete Todo Dia)
Devon Scott é a nova opção do Minas para o garrafão (Foto: Matheus Muratori/Basquete Todo Dia)

O pivô estadunidense Devon Scott, de 25 anos, é uma das apostas do Minas para a temporada 2019/2020. Natural de Columbus, capital de Ohio, o jogador vem de bom período no Hispano Americano, da Argentina. O novo atleta minas-tenista falou ao Basquete Todo Dia sobre a volta por cima psicológica depois de problemas nos tempos de faculdade, expectativas para o próximo NBB e basquete argentino.

O pivô, de 2,06m, atuou pela Universidade de Dayton nos Estados Unidos antes de se profissionalizar. Entretanto, Scott teve problemas como universitário, sendo condenado por violência doméstica, em 2014, e furto, em 2015. Os casos tumultuaram a vida do então jovem atleta, que voltou a atuar regularmente somente em 2017, agora como profissional. O jogador se apegou à religião para tratar dos problemas psicológicos e se reabilitar socialmente.

“Na faculdade eu tive bons momentos, jogávamos bem juntos em Dayton. Tive problemas sim, mas foquei bastante em Deus, e entendo que erros acontecem, todos erram. Eu era bem jovem, tomei decisões erradas e paguei por elas. Algumas pessoas acham que podem julgar as outras, mas no fim do dia ninguém pode impedir sua trajetória. E foi assim que levei, me aproximei a Deus e entendi que erros acontecem e temos que crescer, melhorar, aprender e seguir. Se você não aprende, continua cometendo erros. Eu aprendi e segui em frente”, disse Scott, que não se envolveu em problemas desse tipo depois do período na universidade.

Antes de chegar à Argentina, Scott passou por Canadá, Chile e Nova Zelândia (Fotos: Divulgação/Wellington, Puerto Montatt e Rangers)
Antes de chegar à Argentina, Scott passou por Canadá, Chile e Nova Zelândia (Fotos: Divulgação/Wellington, Puerto Montt e Rangers)

Depois de atuar no primeiro semestre de 2017 no Wellington Basketball Club, do Canadá, ele foi para o Chile, onde defendeu o Puerto Montt. Em abril de 2018, mudou-se para a Nova Zelândia, onde defendeu brevemente o SuperCity Rangers. Em outubro de 2018, ele foi adquirido pelo Hispano Americano, onde se destacou e chamou a atenção do Minas, com médias de 15.8 pontos, 8.3 rebotes e 2.8 assistências no Campeonato Argentino.

“Na Argentina é uma longa temporada, foi um período que aprendi muito também. Joguei muito bem, me destaquei, mas ainda tenho muito a aprender como profissional. Agradeço muito ao pessoal do Hispano Americano, que acreditou em mim”.

Agora no Minas, Scott disse que conversou com o ala Dominique Coleman, que defendeu a equipe mineira na última temporada, para saber mais do basquete brasileiro. “Falei com alguns jogadores antes de vir para o Brasil. Conversei com o Dominique (Coleman), que jogou aqui na temporada passada. Não o conhecia, mas temos amigos em comum e acabamos falando sobre o basquete brasileiro. Ele disse que a liga é muito física, que dão todo suporte para jogar basquete. Mas quero aprender com meus próprios instintos, sentir como se joga aqui, ter minha própria noção”.

Devon Scott está empolgado para a temporada 2019/2020 no Minas e elogiou os novos colegas e o treinador. “Nesta temporada estou em uma grande clube do Brasil, um dos melhores. Adoro estar aqui, minha família também está gostando, então estou ansioso para o que está por vir. Podemos vencer campeonatos, ser competitivos, temos jogadores de respeito no time, que já jogaram muito. Se tivermos uma boa conexão entre os mais jovens e os mais experientes, acho que temos condições de vencer qualquer um. Gosto do treinador (Leo Costa), ele se atenta ao principal, que é como você vai se defender, se armar, tanto ir quanto voltar”.

O pivô também explicou o porquê da escolha pelo Minas e pelo Brasil. Scott disse que o conjunto entre vida pessoal e profissional definiu o seu rumo.

“Escolhi o Brasil, o Minas, por ser a melhor opção, como um todo, para mim. Tive outras opções na Europa, em lugares diferentes, mas acho que aqui era o melhor pacote, tendo em vista o basquete, família, e quero vencer campeonatos. Quero fazer isso nesta temporada”.

Scott durante treinamento no Minas (Foto: Matheus Muratori/Basquete Todo Dia)
Scott durante treinamento no Minas (Foto: Matheus Muratori/Basquete Todo Dia)

Em BH desde o início da última semana, Devon Scott disse que a família tem se adaptado bem e revelou a comida preferida no Brasil até o momento. “Estou amando Belo Horizonte. Gosto da comida, gosto de experimentar essas coisas, gosto de tropeiro, açaí. Estou experimentando essas coisas diferentes e está indo tudo bem até agora. A cidade é ótima, as pessoas são legais, minha esposa e minhas crianças adoram o clube”.

Por fim, Devon Scott comentou sobre o basquete argentino, atual vice-campeão mundial. O pivô elogiou o jogo coletivo praticado no país vizinho.

“Os argentinos jogam muito bem juntos. São jogadores inteligentes, fazem um meia-quadra bem duro. Não são super atléticos, rápidos, mas são inteligentes. Passam muito bem a bola por todo time, então assistir esses caras jogando no Mundial contra essas equipes que se destacam por físico e velocidade foi legal. Eles mereceram o resultado, fizeram um bom torneio, mas a Espanha foi superior no fim”.

A princípio, Scott disputará posição com Shilton no quinteto inicial de Leo Costa. O Minas estreia oficialmente na temporada em 12 de agosto, em BH, na Arena, diante do Flamengo, pela abertura do NBB.

Devon Scott demonstrou confiança no elenco e no treinador (Foto: Matheus Muratori/Basquete Todo Dia)
Devon Scott demonstrou confiança no elenco e no treinador (Foto: Matheus Muratori/Basquete Todo Dia)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *