Alex e Shilton querem ensinar basquete e revelam desejo de se tornarem treinadores no futuro

Alex e Shilton querem dar aulas de basquete após pararem de jogar profissionalmente (Foto: Orlando Bento/Minas)
Alex e Shilton querem dar aulas de basquete após pararem de jogar profissionalmente (Foto: Orlando Bento/Minas)

O ala Alex Garcia e o pivô Shilton, ambos do Minas, revelaram nesse fim de semana que compactuam de um mesmo desejo para o futuro, após pararem de jogar profissionalmente: ensinar basquete. Os dois jogadores, já experientes, querem repassar os ensinamentos que tiveram e, em seguida, seguir uma carreira competitiva no esporte.

Alex, de 40 anos, disse que pretende jogar mais alguns anos para depois pensar melhor em como pretende seguir com os ensinamentos do basquete. O jogador, que também defende a Seleção Brasileira, já é um graduando em Educação Física.

“Eu quero jogar mais uns dois, três, quatro anos. Fisicamente é tranquilo, lógico que a rotina é desgastante depois de um tempo de carreira, mas eu quero ser treinador. Estou fazendo faculdade de Educação Física, mas quero trabalhar com iniciantes, escolinha mesmo. De passar o que eu aprendi, ensinar os fundamentos, é o que eu quero fazer de início. Quero ser técnico profissional também, mas quero isso primeiro”, disse, ao repórter Rodrigo Lazarini, da Liga Nacional de Basquete (LNB).

Com 37 anos, Shilton também espera jogar mais alguns anos até se aposentar. Depois disso, o pivô minas-tenista também quer mergulhar na didática do jogo. O pivô, assim como o amigo Alex, trata o ensinamento do basquete como uma retribuição.

“Eu vou acabar seguindo esse caminho também, para ser treinador. Já estou estudando, já faz um tempo, por conta disso. Porque hoje, especificamente, precisa do CREF. Não pretendo parar agora, nestes próximos dois, três anos ainda não, mas quero estar preparado para isso. Faço vários cursos, acredito que possa realmente contribuir com o basquete. Voltando a uma das coisas que o Marcel me ensinou lá atrás, e penso, não tenho condição financeira de retribuir, mas ele falou o seguinte: ‘Você tem que devolver ao basquete tudo que ele te deu’. E tudo que eu tenho foi o basquete que me deu, de mais importante. Gostaria de retribuir isso, não sei se como técnico, assistente técnico do Brabo (Alex) aí. Mas acredito que eu vá para essa área aí, para poder contribuir um pouquinho”, disse Shilton, ao repórter Lucas Rocha, da Rádio Jovem Pan News de Bauru.

A temporada 2019/2020 do NBB está suspensa desde 15 de março devido ao avanço do novo coronavírus. O Minas, time de Alex e Shilton, classificou-se às quartas de final do torneio após se conseguir a quarta melhor campanha da liga. O campeonato ainda não tem retorno previsto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *