Círculo Militar de BH inicia montagem de time feminino de basquete

Márcio Trindade, gestor do clube, e Gilberto Nascimento, treinador da equipe feminina (Foto: Divulgação/Círculo Militar de BH)
Márcio Trindade, gestor do clube, e Gilberto Nascimento, treinador da equipe feminina (Foto: Divulgação/Círculo Militar de BH)

Após iniciar a montagem de uma equipe adulta masculina, o Círculo Militar de Belo Horizonte iniciou o planejamento da montagem de um time feminino. O clube, inclusive, contratou o treinador Gilberto Nascimento como primeiro passo para essa nova composição.

CLIQUE AQUI PARA ASSINAR O DAZN

A intenção inicial é participar de torneios amadores de BH e Região Metropolitana, para depois sonhar mais alto, como uma possível participação na Liga de Basquete Feminino (LBF), torneio de elite nacional. Gestor de basquete do Círculo, Márcio Trindade deu mais detalhes do projeto.

“Nesse primeiro momento, estamos abrindo as portas para desenvolver o basquete feminino no âmbito estadual. Pretendemos participar dos campeonatos amadores em BH e região metropolitana. Num segundo momento, tendo consolidado a equipe amadora, pensaremos em desafios um pouco maiores”, disse, ao Basquete Todo Dia. Um dos torneios que o Círculo deve participar inicialmente é o Torneio do Branco de Basquete Amador (TBBA), que reúne equipes da Região Metropolitana de BH.

Sobre a montagem de elenco, Márcio também explicou que o processo de seleção será por “peneiras” e indicações. Além disso, a ideia é retomar com a pelada feminina de basquete do clube, que é aberta à sociedade. Ainda não há horários ou datas definidas da seletiva ou de treinos por causa da pandemia do novo coronavírus.

“Estamos trabalhando nos bastidores, fazendo pré-cadastros com as jogadoras interessadas em compor a equipe. Assim que for possível retornar as atividades, o treinador Gilberto fará um processo seletivo com todas as pré-inscritas e daí nascerá a equipe oficial feminina do Círculo Militar. Outra ação que faremos é a reinauguração da pelada feminina, composta por jogadoras da equipe, por meninas que não foram aprovadas para a equipe e por visitantes”, completou o gestor.

Atualmente, Minas Gerais não tem nenhuma equipe profissional de basquete feminino. A edição de 2020 da LBF, cancelada devido à pandemia, contou somente com oito clubes (Blumenau-SC, Ituano-SP, Liga Super Basketball-RJ, Sorocaba-SP, Sampaio Corrêa-MA, Santo André-SP, Araraquara-SP e Vera Cruz Campinas-SP).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *