Manifestação virtual pede servidores brasileiros em franquia de games NBA 2K

Movimento mostra comunidade brasileira no game NBA 2K (Foto: Reprodução/Twitter #WeNeedaBrazilianServerNBA2K)
Movimento mostra comunidade brasileira no game NBA 2K (Foto: Reprodução/Twitter #WeNeedaBrazilianServerNBA2K)

Uma manifestação virtual por servidores brasileiros ou latino-americanos na franquia de games NBA 2K tem sido vista com frequência na própria versão mais recente do game (NBA 2K20) quanto nas redes sociais desde o último fim de semana. A movimentação tem conseguido angariar centenas de pessoas simultaneamente no jogo (todas identificadas com camisas do Brasil) e levantado hashtags nas redes sociais. Em setembro de 2019, próximo ao lançamento do game, o Basquete Todo Dia alertou para um possível descaso da empresa quanto ao consumidor brasileiro.

Os movimentos têm se tornado diários desde o fim de semana. Nessa segunda-feira (3), novos protestos aconteceram, enquanto mais manifestações estão previstas para esta terça. O streamer brabodefp tem organizado as movimentações.

A ação já chegou a membros da 2K. O pedido por um servidor brasileiro se dá pelo fato de que jogadores brasileiros ou latinos não terem mesma conexão que gamers dos Estados Unidos, por exemplo, o que ocasiona delay e travamentos diversos. O Basquete Todo Dia conversou com o gamer Jota, do canal de YouTube e Twitch jotaplays, um dos principais produtores de conteúdo de NBA 2K no Brasil. Ele considera a mobilização importante, mas atenta para outros pedidos.

“Apoio sempre qualquer movimento que possa trazer melhorias para o NBA 2K, facilitar meu trabalho e abrir o game para outras pessoas. Mas um server no Brasil seria problemático, principalmente pela quantidade de usuários. A NBA vem crescendo no Brasil, e me parece que a 2K não ver esse crescimento. E esse tipo de manifestação pública é importante para mostrar que temos jogadores aqui”, afirma.

Apesar disso, Jota pondera: “Acho que a primeira briga deveria ser a tradução do game para português brasileiro, a localização dele. Fazer uma narração, como pedem, é mais complicado, pois depende de outros fatores, contratação de profissionais e ligação com emissoras de TV”.

“Penso que a tradução abre as portas do game para outras pessoas conhecerem, porque tem muita gente que pega o jogo sem conhecer o esporte. Isso vai muito do que o Brasil utiliza como porta de entrada, não incentiva o esporte no país. A tradução e a localização seria viável, e vejo como atitude porca da empresa em não fazer isso até o momento, porque não é um investimento caro. Precisa nem ser dublagem, digo tradução de menu, termos, legendas, justamente para abrir espaço”, completou o gamer.

“Ter um server não seria um adianto, teríamos até poucos jogos nos modos online. Tenho amigos da Europa que não encontram partidas na Europa, onde é localizado, pelo problema da penetração. Um server brasileiro seria problemático, ao meu ver (…) Na minha opinião, creio que deveria ter um servidor latino-americano, para englobar os países daqui, tem uma galera forte da Argentina”, finaliza o youtuber e streamer de NBA 2K, que também gostaria de que o game tivesse a opção crossplay.

Ainda não se sabe se esses pedidos serão atendidos para o NBA 2K21, que será lançado em 4 de setembro para PlayStation 4, Xbox One e PC.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *