Pré-Olímpico: Brasil decide vaga em Tóquio-2021 contra a Alemanha

Vítor Benite é um dos destaques da Seleção Brasileira (Foto: Divulgação/Fiba)
Vítor Benite é um dos destaques da Seleção Brasileira (Foto: Divulgação/Fiba)

A Seleção Brasileira masculina de basquete entra em quadra às 14h30 (de Brasília) deste domingo (4) por uma vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio. A equipe enfrenta a Alemanha na final do Torneio Pré-Olímpico sediado em Split, cidade da Croácia. Somente o campeão da competição se garante em Tóquio-2021.

CLIQUE AQUI PARA ASSINAR O DAZN

Para chegar à final, o Brasil bateu nesse sábado (3) o México, por 102 a 74, pela semifinal do Pré-Olímpico. Os comandados do técnico croata Aleksandar Petrovic venceram com autoridade as três partidas disputadas no torneio até então – 83 a 57 sobre a Tunísia e 94 a 67 sobre a Croácia, ambos na fase de grupos, além do triunfo sobre os mexicanos.

A Alemanha também chega à final com três triunfos no campeonato, mas com dificuldades em todas as partidas disputadas até aqui. Os alemães, que bateram a anfitriã Croácia por 86 a 76 nesse sábado pela semifinal do Pré-Olímpico, venceram também México, por 82 a 76, e Rússia, por 69 a 67, estes últimos na fase de grupos.

As seleções

O Brasil vai à final com a equipe acertada e uma campanha perfeita. Os pedidos de dispensa dos então pré-convocados Raulzinho, armador do Washington Wizards-EUA, Gui Santos e Didi Louzada, ala-armadores de Minas e New Orleans Pelicans-EUA respectivamente, e Marquinhos, ala do São Paulo, todos por motivos pessoais, não impediram o time brasileiro de fazer partidas praticamente perfeitas.

Petrovic conseguiu dar ritmo a todos os jogadores e, com rotação efetiva, colocou os 12 convocados em sintonia em um momento de transição de gerações do basquete brasileiro. O cestinha brasileiro no torneio é o ala-armador Vítor Benite, de 31 anos, com média de 15 pontos por jogo.

A Alemanha também tem ausências de jogadores que atuam em equipes da NBA e sofre mais com elas. O armador Dennis Schroder, do Los Angeles Lakers-EUA – desfalque por questões de seguro de trabalho -, o ala-pivô Maxi Kleber, do Dallas Mavericks-EUA – trata de lesão no tendão de aquiles – e os pivôs Daniel Theis, do Chicago Bulls-EUA, e Isaiah Hartenstein, do Cleveland Cavaliers-EUA – pediram dispensa por motivos pessoais – são os desfalques claramente sentidos.

Apesar desses atletas ausentes do torneio, a equipe conta com o armador Maodo Lo, do Alba Berlin-ALE, e os ala-pivôs Moritz Wagner e Danilo Barthel, de Orlando Magic-EUA e Fenerbahçe-TUR respectivamente, que podem fazer a diferença. O time é comandado pelo técnico alemão Henrik Rodl.

Brasil tenta terceira participação consecutiva após hiato olímpico

A Seleção Brasileira masculina de basquete tenta a terceira participação seguida nos Jogos Olímpicos. Em Londres-2012, depois de um hiato de três Olimpíadas, o Brasil retornou ao torneio olímpico, passou da fase de grupos, mas foi eliminado para a Argentina nas quartas de final.

Já na Rio-2016, com status de favorito na briga por medalha, o time brasileiro decepcionou e foi eliminado ainda na fase de grupos. Nas duas ocasiões, o treinador da Seleção Brasileira era o argentino Rubén Magnano. Ouro com a Argentina em Atenas-2004, ele deixou o comando brasileiro após a disputa no Rio, e o Brasil teve interinamente César Guidetti no comando até outubro de 2017, quando Petrovic assumiu como técnico.

Revanche?

Rival do Brasil neste domingo pela vaga olímpica, a Alemanha tem forte contribuição no hiato brasileiro de 1996 a 2012 sem participações olímpicas. No Pré-Olímpico Mundial de 2008, que dava três vagas para os Jogos Olímpicos de Pequim naquele ano, a Seleção Brasileira foi eliminada pelos alemães nas quartas de final.

Na ocasião, a Alemanha, liderada pelo ala-pivô Dirk Nowitzki e seus 20 pontos na partida, venceu o Brasil por 78 a 65. Dos jogadores que atuaram naquela partida em 2008, o armador Marcelinho Huertas e o ala Alex Garcia, ambos brasileiros, estarão em quadra neste domingo. A Seleção Alemã, por fim, conseguiu a vaga para Pequim-2008 após vencer Porto Rico na decisão do terceiro lugar do Pré-Olímpico Mundial.

O grupo do vencedor em Tóquio

O vencedor do Pré-Olímpico de Split entra no Grupo B do torneio de basquete masculino dos Jogos Olímpicos de Tóquio. A chave tem também Austrália, Nigéria e Itália ou Sérvia – que também chegam de um Pré-Olímpico, este sediado na cidade sérvia de Belgrado.

O torneio olímpico conta com outros dois grupos: A, de Irã, França, Estados Unidos e República Tcheca ou Grécia; e C, de Argentina, Japão, Espanha e Eslovênia ou Lituânia. Os dois melhores de cada chave e os dois terceiros colocados com melhores campanhas avançam para as quartas de final, e depois seguem para a disputa eliminatória.

O primeiro jogo do campeonato olímpico de basquete masculino acontece às 10h (de Brasília) do dia 24 de julho. Irã e República Tcheca ou Grécia abrem os trabalhos da modalidade em Tóquio-2021.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *