Em casa, Bucks entra em quadra por título da NBA; Suns busca sobrevida

Giannis Antetokoumpo é o grande destaque das finais até então (Foto: Ronald Martinez/AFP)
Giannis Antetokoumpo é o grande destaque das finais até então (Foto: Ronald Martinez/AFP)

Partida do título ou da sobrevida. De alguma dessas maneiras, o jogo desta terça-feira (20), às 22h (de Brasília), entre Milwaukee Bucks Phoenix Suns, será definido. O Bucks, campeão da Conferência Leste, lidera a série final da NBA por 3 a 2 e pode dar fim à ela com uma nova vitória, agora em casa.

CLIQUE AQUI PARA ASSINAR O DAZN

A equipe de Wisconsin chega embalada ao jogo 6 das finais da NBA. No último sábado (17), com a série final empatada em 2 a 2, o Bucks venceu o Phoenix Suns, campeão da Conferência Oeste, por 123 a 119 fora de casa. Trinca do Bucks, o armador Jrue Holiday, o ala-armador Khris Middleton e o ala-pivô grego Giannis Antetokounmpo somaram 88 pontos nesta partida, além de importantes movimentações finais com roubo de bola e assistência de Holiday e posteriores pontos de Giannis e Middleton.

Desde o início destas finais da NBA, em 6 de julho, foi a primeira vez que uma equipe conseguiu vencer fora de casa. Se o Suns quiser ter uma sobrevida e disputar um possível jogo 7 na quinta-feira (22), às 22h (de Brasília), também em casa por conta de melhor campanha na temporada regular do que o Bucks, será necessário vencer nesta terça e forçar o decisivo “game 7”.

A história mostra que o cenário para o Suns, que conta com atletas como o armador Chris Paul, o ala-armador Devin Booker e o pivô Deandre Ayton, é complicado. Das quatro vezes em que uma série final da NBA estava empatada em 2 a 2 e o visitante venceu o quinto jogo, este time se sagrou campeão da liga. Ainda neste cenário, somente uma vez o time não conseguiu o título no sexto confronto, mas conquistou o anel na sétima e decisiva partida.
O Bucks busca o segundo na história da franquia. O primeiro e até então único contou com participação do armador Oscar Robertson e do pivô Kareem Abdul-Jabbar, estrelas do time em 1971. Já o Suns, que tenta a sobrevida nesta terça, vai em busca do primeiro título de sua história.
A partida desta terça e um eventual jogo 7 na quinta terão transmissões para o Brasil por Band, na TV aberta, e ESPN, na TV por assinatura.

Festa preparada?

Com o primeiro “series point” em casa, o Bucks tem um cenário preparado para apoiar o time e, em caso de vitória nesta terça, celebrar o título. Além das 61 mil pessoas esperadas no Fiserv Forum, ginásio da equipe, foi reservado todo um espaço ao lado para acomodar 65 mil pessoas.

O espaço, com telão para que os fãs acompanhassem as finais, já era tido como ponto de encontro dos torcedores, mas agora terá capacidade ampliada e algumas atrações a mais. Tanto o público de dentro do ginásio quanto os que estarão do lado de fora, ao participarem de algum dos dois eventos, concordam com termos estabelecidos pela franquia por conta da COVID-19 – devem ter teste negativo ou estarem vacinados com ao menos uma dose.
O Fiserv Forum foi um dos ginásios das equipes da NBA que, durante a retomada gradual do público presente, estava vacinando as pessoas que iam acompanhar as partidas do Bucks. No jogo quatro das finais, por exemplo, houve uma promoção no qual quem se vacinasse contra o coronavírus concorreria a um par de ingressos.

Atrasados para Tóquio

Três jogadores envolvidos nas finais da NBA estão convocados para defenderem a Seleção Estadunidense nos Jogos Olímpicos de Tóquio: Holiday, Booker e Middleton. Com o decorrer das finais, eles perderam o voo da equipe nessa segunda-feira (19) para a capital do Japão.

A tendência é que eles partam para Tóquio até um dia depois do fim das finais da NBA. O corte de alguns deles e uma posterior substituição às pressas não é descartada. Os Estados Unidos estão no Grupo A, junto de Irã, França e República Tcheca. A estreia será contra os franceses, no próximo domingo (25), às 9h (de Brasília).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *