Gui Santos foi draftado pela equipe certa

Gui Santos acompanhou o Draft de Fort Lauderdale, na Flórida (Foto: Divulgação/Gui Santos)
Gui Santos acompanhou o Draft de Fort Lauderdale, na Flórida (Foto: Divulgação/Gui Santos)

A madrugada desta sexta-feira (24) reservou grandes emoções ao apaixonado por basquete no Brasil. Aos 20 anos, o ala-armador Gui Santos, do Minas, foi escolhido pelo Golden State Warriors na 55ª posição no Draft da NBA.

A seleção é um sopro de esperança para o basquete nacional, já que Gui Santos passou por todos os processos em solo brasileiro até alcançar o glamour da NBA. Mas, passada a euforia, qual a perspectiva do jovem no Warriors?

Primeiro fato é que Gui Santos chega à melhor franquia possível para um jovem draftado. Não é de hoje que o Warriors trata bem a garotada, dando algumas chances para eles se desenvolverem.

Além disso, há o fator Leandrinho. O ex-jogador atuou com Gui no Minas e hoje é auxiliar-técnico do Warriors, o que pode ajudar na adaptação e atenção ao jovem brasileiro.

Por conta da 55ª escolha, Gui Santos ainda não tem um contrato em definitivo com o Warriors. A tendência é que, caso seja assinado, aconteça após ou durante a Summer League, quando jovens e atletas pouco aproveitados de cada time são colocados à prova em um torneio pré-temporada.

Depois da Summer League com o Warriors, a situação deve clarear. Fato é que há uma boa expectativa de que Gui permaneça no Warriors, atual campeão da NBA.

Resta saber em que condições. O cenário ideal seria o contrato “two-way”, no qual ele atuaria na G-League, a liga de desenvolvimento da NBA que ocorre simultaneamente à temporada regular, e poderia ser convocado em qualquer momento para compor elenco em alguns jogos do Warriors na NBA.

Existem outras possibilidades: como o contrato fixo na G-League ou até o empréstimo pelo Warriors a equipes de outros países por no mínimo uma temporada, chamado “draft-and-stash”.

Importante observar isso, pois Gui Santos tem grande potencial e vai trabalhar com os melhores. Ele precisa de tempo de quadra, por isso a alternativa do two-way possa ser interessante – alia proximidade ao time com tempo de jogo.

O Golden State Warriors tem a confiança do mundo para trabalhar com os jovens, e Gui Santos merece desfrutar do que virá. Aguardemos as cenas dos próximos capítulos.